Pesquisar este blog

Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 9 de março de 2010

Amiga mulher

Jocilene Pereira Barros

É dificílimo ser mulher. Ser mulher com e para outra mulher, então, chega a ser doloroso. Nos relacionamentos sociais e familiares é comum mulheres pensarem e agirem com a mentalidade machista, a mesma que orienta muitos homens a usar as mulheres a seu belo prazer e a destruí-las quando não se submetem aos seus caprichos.

Amiga, em qualquer circunstância não se coloque contra uma mulher. Não se guie por fofocas para destruir outra mulher. Nunca mude sua avaliação sobre outra mulher só porque alguém a julga disso ou daquilo.

Amiga, por gentileza, lhe digo quase gritando, seja sempre solidária com outra mulher. Liberte-se dos vícios machistas que afirmam “que mulher não vota em mulher”, “que mulher se veste para outras mulheres”, “que mulher não é amiga de outras mulheres, mas suas concorrentes” etc.

Amiga, seja a primeira a ser solidária com outra mulher, aconteça o que acontecer, mesmo que o mundo inteiro se coloque contra ela. Seja solidária e não garimpeira oportunista de possíveis erros em sua amiga, para sair ao mundo gritando que a crucifique. Seja solidária e não aproveitadora que só sabe ser amiga quando usufrui de benefícios dela e respeite-a quando ela fizer escolhas diferentes das suas e com as quais até discorde. Ela merece seu respeito e seu amor.

Ser independente não é somente ter profissão de destaque, concorrer a cargos de prestígios e públicos, mas pensar como uma mulher deve pensar, com seu próprio cérebro feminino. Pensar como mulher é superar a concorrência machista, que entende que as mulheres só podem vencer sob as asas dos homens.

Falo de mim mesma e compartilho dessa dor com você, amiga, que por escolha pessoal enfrento enorme discriminação. Para meu espanto muitas mulheres supostas amigas me discriminam. Porém, passo por um momento difícil, mas não me curvarei em face dos preconceitos. Estou magoada e triste, mas jamais derrotada.

Assim é a alma de uma mulher.

Com coragem, Jucilene.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Páginas