Pesquisar este blog

Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 20 de julho de 2011

FEDERAÇÃO DE MULHERES GOIANAS: uma história dedicada à causa da mulher.





       No dia 06 de setembro de 2011 acontecerá no teatro Rio Vermelho do Centro de Convenções de Goiânia,  o seminário MULHER, em parceria com o DCE-Universo e a FDIM/GO. Contaremos com as presenças de   representantes   de algumas federações de mulheres,  como as do Distrito Federal, do Rio Grande do Sul e de São Paulo. As mulheres da FDIM (Federação Democrática Internacional de Mulheres), como Márcia Campos, Gláucia Morelli, Rosa Mônica, Mari Perusso, Jane Ferreira e outras que pecarei em não citá-las, sempre  tiveram a mesma luta. Essas mulheres lutaram pela queda do regime militar, lutaram nas ruas pró movimentos como as diretas já, os caras-pintadas etc. Em Goiás Rosa Mônica, última presidente da FEDERAÇÃO DE MULHERES/GO, levou milhares de mulheres às ruas de Goiânia a favor do impedimento do ex-presidente Collor de Melo.  As representantes da Federação viajaram por vários países, dentre eles Venezuela, Cuba, África do Sul, representando a luta da mulher brasileira e desenvolvendo o feminismo, apoiadas por homens, que também dedicaram suas vidas à  luta pela  democracia e apoio à luta das mulheres. A FDIM, contexto da Federação de Mulheres Goianenses,  conta com o apoio de homens como o ex-presidente Lula, o presidente de Cuba, Fidel Castro, Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul  e de todos aqueles que dedicam suas vidas à paz mundial e ao processo democrático, à soberania dos países e à igualdade dos povos.

     O seminário voltará o olhar sobre a causa feminista, reforçado pela história de lutas dessas mulheres, que estão à frente dessa instituição há 64 anos.  Dentre as palestrantes contaremos com Gláucia Morelli (presidente da CMB -Confederação de Mulheres do Brasil), uma mulher que trabalha incessantemente por uma sociedade igualitária e justa para todos, co a Dra. Gláucia Teodoro dos Reis, presidenta da Semira/GO,  que desenvolve dentre suas atividades as seguintes ações: apoio ao enfrentamento a violência doméstica, exploração sexual das mulheres, apoio à rede de atenção ao enfretamento ao tráfico de pessoas etc, com Carmem Silvia, que ingressou na atividade político-partidária pelas mãos de Sarah Kubitschek, que lhe delegou a responsabilidade de presidir o comitê Jovem JK, no Estado de Goiás e hoje é presidenta da Secretaria de Ação Social de Aparecida de Goiania. Contaremos também  com a nossa  ministra da Secretaria de Politicas para as Mulheres, Iriny Lopes e a presença de representantes dos movimentos étnicos-raciais e também com Teresa Cristina Nascimento Sousa, carioca de nascimento e goiana de coração, formada em direito e militante da luta em prol da mulher e que  ocupa atualmente o cargo de  assessora especial para Assuntos da Mulher da Prefeitura de Goiânia.

    Esse seminário será um encontro para debater e refletir o avanço das mulheres no Brasil. Somos um país em construção, uma democracia jovem, conquistada também pela luta de muitas mulheres, inclusive as não citadas aqui nesse texto. Mulheres que lideraram a luta contra a ditadura, as diretas já, como a nossa companheira Rosa Mônica, aqui de Goiás, que à época do impedimento do então presidente Collor levou mais de mil mulheres às ruas de Goiânia e hoje continua a luta a favor da emancipação da mulher no mercado de trabalho, criando cooperativas e outros meio de inserção, na cidade de Pirinópolis. A Confederação de Mulheres tem  64 anos de luta  e conta com o apoio de muitos homens que apoiam  a causa das mulheres. Não há tempo para discutirmos mais um feminismo excludente, como apartheid entre homens e mulheres. Avançamos muito nos últimos 9 anos, rompendo paradigmas de políticas antigas, abrindo espaço para novas idéias com novos governos, em luta da soberania plena do país. Precisamos continuar a luta. Esta só começou. Esse avanço acontecerá a partir da filosofia libertadora do diálogo entre homens e mulheres, pais e filhos, mestres e alunos. O encorajamento da nossa juventude, a política séria, a partir da universidade, para não continuarmos a perder nossa juventude que se evade das escolas para as drogas e outras delinqüências. Nosso debate será para discutir e encaminhar pessoas em condições igualitárias, como o encorajamento de mulheres para compor cargos políticos e que possamos ter 50% de mulheres ocupando espaço na vida pública, passando por eleições,  no mercado de trabalho, com salários iguais e não nos esquecemos de que somos seres políticos. Discutir a fomentação  das leis já existentes,  mas  desconhecidas por muitas e avançarmos  em novas propostas. Nossas mulheres precisam de mais qualidade de vida, somos um número grande que sustenta as famílias, que sai de casa  para trabalhar, deixando nossos filhos em creches. Precisamos de creches que funcionem duas horas a mais, para que haja tempo das mães buscarem seus filhos. As mulheres precisam de maior acesso às clinicas terapêuticas para tratar homens adoecidos, que maltratam crianças e mulheres, mais apoio às mulheres violentadas, para rompermos com a co-dependência da violência  nas famílias, onde pai e mãe são violentos com os filhos e muitas vezes a roda gira  e os filhos se tornam violentos com os pais.

    A hora é agora, companheiras. Estamos no poder.  O exemplo desse fato é a nossa presidenta Dilma Roussef, que passou por todo tipo de violência no corpo e na alma na luta contra a ditadura militar,  mas não se deixou curvar diante das adversidade. A sua luta perpassou todo tipo de opressão e cremos  que  toda mulher brasileira precisa se apoderar a cada dia.

    Lutamos pela pedagogia da libertação de homens e mulheres, que pelo nosso ponto de vista, passa pelo avanço político, conhecimento das leis e dos direitos, uma sociedade justa, o resto caminhará junto. Um idéia de sociedade justa para todos da Federação de Mulheres Goianas, do Dce/Universo, que tem como presidente José Netho e vice-presidente Samara Cecílio e também de  todos aqueles companheiros que compartilham dessa luta.

    A todos/as somos mais do que agredecidas, contamos com a participação de todos/as após o seminário.

Um comentário:

  1. Olá. Gostei muito do blog e estou seguindo. Convido para conhecer o meu trbalho.
    Abços
    www.mariamariapretaporter.blogspot.com

    ResponderExcluir

Páginas