Pesquisar este blog

Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 6 de maio de 2011

MANIFESTO CONTRA A VIOLÊNCIA E EM DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS NO ESTADO DE GOIÁS



"É difícil defender a vida só com palavras."
João Cabral de Melo Neto

Os últimos acontecimentos registrados no estado de Goiás são

estarrecedores. A partir da Operação Sexto Mandamento, liderada pela
Polícia Federal, uma série de crimes praticados por grupos de
extermínio vem sendo desvendados e a sociedade vai descobrindo um fato
que já vem sendo denunciado há muito tempo pela Comissão de Direitos
Humanos da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, pela Campanha "A
Juventude quer Viver", pelo Comitê Goiano pelo Fim da Violência
Policial e vários outros grupos de luta pelos direitos humanos: uma
parte da polícia do estado de Goiás tem envolvimento com as dezenas de
mortes registradas no estado!

Este fato, da investigação da Polícia Federal e da prisão de

envolvidos com os crimes, desencadeou mais uma série de ameaças contra
vários militantes defensores de direitos humanos do estado e em
particular contra a Casa da Juventude Pe. Burnier, instituição
filantrópica da Companhia de Jesus, dedicada à missão de evangelização
da juventude no centro-oeste brasileiro, por meio de projetos de
formação, assessoria e pesquisa desde o ano de 1984.

Essas ameaças representam um esforço de intimidação da sociedade e de

perpetuação da violência contra a juventude, muitas vezes praticada
pelo próprio Estado.

Em Goiás, uma Comissão Especial em Defesa da Cidadania analisa a

situação de extermínio no estado e investiga o desaparecimento de 35
jovens nos últimos anos. A ação do Comitê pelo Fim da Violência
Policial associada à luta promovida pelas Pastorais da Juventude, por
meio da Campanha contra Violência e o Extermínio de Jovens, vem
ganhando força e relevância no estado e desencadeando a ira daqueles
que por vários anos agiram livremente atentando contra a vida de
jovens pobres, negros em sua maioria, nas periferias urbanas e no
campo do estado de Goiás.

É fundamental que as várias organizações nacionais comprometidas com a

luta por justiça e cidadania reafirmem, cada vez mais e de forma
efetiva, o compromisso com estas importantes iniciativas de
engajamento na luta pela vida e contra toda forma de violência. A
Igreja Católica, os mandatos populares, as centrais sindicais, as
organizações nacionais de direitos humanos, enfim, todos(as) os que
lutam pela vida e assumem a sua defesa precisam se manifestar sobre
os graves fatos aqui relatados.

Nós, abaixo assinados, solidarizamo-nos com a luta do povo de Goiás e

manifestamos o nosso compromisso com a luta contra a violência e o
extermínio! Exigimos do Governo do Estado e do Governo Federal medidas
rápidas na perspectiva de proteger os companheiros e companheiras que
estão ameaçados, e, o mais importante, a adoção de políticas sérias
que coíbam a violência e promovam a formação, fiscalização e a
valorização das carreiras da polícia civil e militar, sabemos que
superar a violência é um desafio da democracia brasileira.

Brasil, 12 de abril de 2011.

Obs.: O documento já conta com mais de 600 assinaturas de pessoas e

instituições de várias partes do mundo, está aberto a assinaturas e
adesões no link:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Páginas